Mais 200 leitos são disponibilizados no Rio

A prefeitura do Rio de Janeiro disponibilizou 200 leitos de enfermaria do Hospital de Campanha do Riocentro, na zona oeste, destinados aos pacientes com covid-19, quando começa a quarta fase de reabertura econômica da capital, após quarentena.

A medida foi aprovada em reunião do comitê científico para enfrentamento da covid-19, que analisou as medidas de flexibilização do isolamento social da etapa quatro do planejamento da prefeitura para reabertura das atividades. A intenção é ter os leitos disponíveis para pacientes de cirurgias eletivas, que retornarão no dia 1º de agosto. De acordo com o subsecretário de Atenção Hospitalar, “dos 413 leitos abertos, que foram os cirúrgicos convertidos em dedicados à covid, desmobilizamos 121 e a partir de amanhã estamos desmobilizando 200 leitos do hospital de campanha, que sai de 500 para 300 leitos, sendo 100 de UTI e 200 de retaguarda”.

No inicio da pandemia, a Secretaria de Saúde propôs a abertura de 1.277 leitos de enfermaria e de UTI na rede municipal. Do total, foram abertos 1.252, sendo 251 de UTI e 1.001 de enfermaria, divididos por toda a rede e o Hospital de Campanha do Riocentro. A maior parte se concentrou no Hospital Ronaldo Gazolla (381), na zona norte, e no Hospital de Campanha (500). O restante se destinou à ampliação dos CTIs plenos nos outros hospitais municipais.

De acordo com Gama Lima, as UPAs, que são as portas de entrada do sistema de saúde, que chegaram a ter em média 900 atendimentos diários de pacientes com suspeita de infecção por covid-19, há quatro semanas, têm registrado cerca de 250 atendimentos de procura diária de pacientes com síndrome respiratória.

Comunicando ComCausa

Ponto de Cultura e Mídia Livre ComCausa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.