Adolescentes serão beneficiados com programa de transição de acolhimento

Foi sancionada pelo governador a criação do Programa de Transição de Acolhimento, para auxiliar adolescentes acolhidos no processo de desligamento das instituições, ou seja, ao completarem a maioridade.

A nova lei 9152/2020 determina que as empresas e os órgãos públicos estaduais devam destinar 10% do percentual estipulado pela Lei Federal 10.072/00 – Lei da Aprendizagem – para adolescentes em situação de acolhimento. Os adolescentes acolhidos, ao completarem 14 anos de idade, deverão ser encaminhados pelas instituições de acolhimento aos programas da Fundação para Infância e Adolescência (FIA) que tenham como objetivo a inserção qualificada no mercado de trabalho, através de parcerias com órgãos públicos e sociedades empresárias.

Ainda segundo a lei, os adolescentes acolhidos que concluírem o Ensino Médio deverão ser encaminhados pelas instituições de acolhimento ao Ensino Superior ou Ensino Técnico Profissionalizante, recebendo as orientações e capacitação necessárias para o ingresso nas instituições de ensino. Após completarem 18 anos, caso estejam matriculados em instituição de ensino, os adolescentes acolhidos terão direito ao recebimento de Aluguel Social oferecido pelo Estado do Rio durante período de quatro anos, além de terem prioridade em outros programas habitacionais do estado.

A regra estabelece, ainda, que o governo do estado deve criar repúblicas feminina e masculina destinadas aos jovens egressos do serviço de acolhimento com idade superior a 18 anos e inferior a 22 anos, matriculados em instituição de ensino e que estejam em situação de vulnerabilidade. Para o cumprimento dessa recomendação, o Poder Executivo poderá firmar convênio com os municípios.

– Fonte Alerj

Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

Emanoelle Cavalcanti

Jornalista social e acadêmica de psicologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.