Alerta PRI é a lei que avisa sobre pessoas desaparecidas

A ComCausa esteve na cerimônia de assinatura da regulamentação da Lei 9182 de 2021, que cria o alerta de pessoas desaparecidas – Alerta PRI – no Salão Nobre do Palácio Guanabara.

Assinatura Alerta Pri -
Com a mãe e tia de Priscila Belford, desaparecida em 2004.

“Hoje, poderia ser chamado de dia da esperança”, disse Jovita Belford, superintendente Estadual de enfrentamento das pessoas desaparecidas e mãe de Priscila Vieira Belfort, desaparecida desde 9 de janeiro de 2004. Seu entusiasmo e emoção é devido a regulamentação, pelo governo estadual, da lei que cria o “Alerta” de pessoas desaparecidas, de iniciativa do deputado estadual Alexandre Knoploch. O ato teve a presença do governador em exercício, Cláudio Castro, e do Secretário de Polícia Civil, Allan Turnowski, que aguarda dispor de maior efetivo de agentes para instalar outra Delegacia de Descobertas de Paradeiros (DDPA), na região da Baixada Fluminense.

Conhecido como Alerta PRI, a lei obriga as operadoras de telefonia a dispararem mensagens de SMS e de aplicativos como WhatsApp, com informações sobre crianças e adolescentes desaparecidos no Estado do Rio de Janeiro. Os dados deverão ser encaminhados as operadoras pela atual DDPA, instalada na Cidade da Polícia, subúrbio do Rio.

Segundo Jovita Belford, as mães dos desaparecidos convivem diariamente com as lembranças e questionamentos sobre como estão neste momento seus filhos? A esperança está justamente relacionada ao empenho do Estado em continuar procurando os desaparecidos.

Fotos: Marcio Santos e Artur Messias

| Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

João Oscar

João Oscar é militante da Pastoral da Juventude da Baixada e jornalista comunitário.