Nova Iguaçu ajuda a manter idosos ativos em meio à pandemia

Nova Iguaçu está realizando o cadastramento de idosos que vivem sozinhos na cidade como parte do projeto “Minha Casa, Meu Lugar”, realizado pelo Núcleo de Atendimento ao Idoso (NAI) da Secretaria Municipal de Assistência Social de Nova Iguaçu (SEMAS), identificou 300 pessoas vivem sozinhas somente em Vila de Cava, bairro onde teve início o projeto. O objetivo é propiciar atividades lúdicas que permitam que idosos mantenham-se ativos durante o período de isolamento social.

As equipes do Núcleo de Atendimento ao Idoso fazem visitas domiciliares – após identificar os idosos, por meio do Cadastro Único -, nas quais distribuem máscaras e orientam sobre a importância do isolamento e dos cuidados com a higiene como forma de prevenção ao novo coronavírus. Além disso, os idosos são presenteados com kit que contém jogos de carteado, jogo da memória, dama e também caderno exclusivo da SEMAS com atividades como caça-palavras, palavras cruzadas, labirinto e sudoku com temas ligados à assistência social. Todo o material é desinfectado antes de ser entregue.

Segundo Elaine Medeiros, secretária da assistência social, “Além de estimularem a cognição, as atividades ajudam os idosos a se sentirem menos solitários. Muitos deles moram sozinhos e estão ainda mais afastados do convívio familiar pela necessidade de se manterem isolados.

Caso o Núcleo de Atendimento ao Idoso (NAI) identifique que o idoso necessita de atendimento especializado, ele é encaminhado ao Proteção Social Básica no Domicílio. O PSB no Domicílio, que conta com assistentes sociais e psicólogos, faz o acompanhamento com visitas domiciliares e monitoramento por telefone.

Emanoelle Cavalcanti

Jornalista social e acadêmica de psicologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.