UFRRJ de Nova Iguaçu é denunciada por fraude no sistema de cotas

O órgão enviou um ofício nesta segunda-feira solicitando prestação de informações ao processo de autodeclaração dos candidatos inscritos nos cursos naquela unidade.

A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), é alvo de investigações do Ministério Público Federal (MPF) na Baixada Fluminense por fraude em cotas raciais no Campus de Nova Iguaçu.

Segundo o inquérito instaurado pelo MPF, no segundo semestre de 2018 houve uma representação anônima de autodeclaração de cotas raciais de uma estudante de ciências econômicas.  Além de Nova Iguaçu, outros diretores de universidades federais localizadas na Baixada Fluminense também foram notificados do requerimento de informações sobre o procedimento de acompanhamento da autodeclaração para preenchimento de vagas reservadas e os critérios exigidos.

No mês passado a UFRRJ já estava no alvo de investigações sobre fraudes no seu sistema de cotas raciais. Na ocasião a universidade informou que o resultado das entrevistas presenciais realizadas pelas Comissões de Heteroindicação Racial para homologação das vagas reservadas aos estudantes pretos, pardos e/ou indígenas são públicos, e que as listas com os nomes dos candidatos deferidos, indeferidos e desistentes podem ser consultadas no site do SiSU/UFRRJ.   

O MPF segue apurando outros casos.

Emanoelle Cavalcanti

Jornalista social e acadêmica de psicologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.