Juíza pode decidir se Jairo e Monique vão à Júri popular

Após várias audiências do caso do menino Henry, finalmente na segunda, dia 13 de junho será feito novo interrogatório de Jairo Souza Santos Júnior, o Dr Jairinho, no 2º Tribunal Criminal de Justiça do Rio.

A expectativa dos familiares do menino é que depois de ouvir o ex-vereador, a juíza Elizabeth Machado Louro, decidirá se Monique e Jairo irão para júri popular. “Após essas audiências, vai acontecer a sustentação dos advogados e na sequência a pronúncia ou não da juíza”, diz Leniel Borel, pai de Henry.

Para acompanhar os familiares de Henry, militantes de apoio a vítimas de violência e alienação parental estarão na porta do Tribunal de Justiça a partir das 9 horas. Mais informação pelo telefone: 21 99777 4644 (ComCausa)

Meu filho foi uma vítima fatal da alienação parental

Na audiência da instrução do caso, no Tribunal de Justiça do Rio de janeiro no último dia 09 de fevereiro, Leniel falou que lutará todos dias por justiça pelo filho: “Gastarei todas as forças e recursos que eu tiver para que seja feita a justiça”. Leniel coutou que Monique tinha ameaçado fazer denuncia na lei Maria da Penha para afasta-lo do filho caso ele continuasse questionando o medo da criança dela e de Jairinho. “Eu sou vítima de alienação parental e meu filho é uma vítima fatal”, disse Leniel Borel.

Mãe e ex-vereador acusados são os acusados da morte de Hanry

Segundo o Ministério Público do Rio, o ex-vereador do Rio de Janeiro, o médico Dr. Jairinho, namorado de Monique Medeiros, mãe de Henry, agredia o menino com chutes e pancadas na cabeça. Atitude era de conhecimento de Monique e de sua família conforme contou Henry Borel, pai do menino. A violência vinha acontecendo desde que o casal passou a morar juntos e na madrugada do dia 07 para 08 de março, o menino foi levado para o hospital, mas já chegou morto, Henry tinha quatro anos.

O laudo médico apontou que a criança teve hemorragia interna e “laceração hepática, provocada por ação contundente”, e que o corpo da criança apresentava equimoses, hematomas, edemas e contusões que indicam traumas anteriores à morte. No dia 8 de abril de 2021, Jairinho e Monique foram presos acusados de homicídio triplamente qualificado.

Jairinho e Monique caso Henry

Jairinho e Monique caso HenryMonique e Jairinho são réus no processo sobre a morte do menino Henry Borel.

Apoie o núcleo Crianças com Direitos da ComCausaUniendo LATAM La Infancia Primero:

Portal C3 | Comunicação de interesse público | ComCausa

Adriano Dias

Jornalista militante e fundador da #ComCausa