Advogado e Professor Ricado Lodi busca trazer recursos para a educação

Advogado e Professor, Lodi busca oportunidade para representar o estado em Brasília e trazer recursos para educação. O advogado e professor Ricardo Lodi Ribeiro deixou a reitoria da Universidade do Estado do Rio de Janeiro para se filiar ao Partido dos Trabalhadores e se candidatar a deputado federal pelo estado. Se eleito, o primeiro projeto que pretende apresentar buscará fortalecer a autonomia universitária.

Trata-se de algo assegurado pela Constituição Federal, mas que não está tão bem regrado na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9.394/1996). A medida é importante, segundo Lodi, para reverter os retrocessos nas universidades públicas iniciados pelo ex-presidente Michel Temer e aprofundados por seu sucessor, Jair Bolsonaro. A ideia do candidato é garantir autonomia administrativa (permitir que a comunidade acadêmica eleja seus reitores), orçamentária (para evitar cortes de recursos) e didático-científica (de forma a evitar interferências políticas no conteúdo a ser ensinado e pesquisado).

Entrevista com Ricardo Lodi

Ricardo Lodi, que é sócio do sócio do escritório Ricardo Lodi Advogados, também pretende propor a criação de um plano nacional de assistência estudantil, de forma a auxiliar os alunos mais pobres e evitar que eles abandonem os cursos por falta de dinheiro. Como reitor da Uerj, ele quintuplicou os recursos para permanência estudantil durante a epidemia de Covid-19. Além disso, criou auxílios para transporte, alimentação, creche, material didático, moradia e uniforme (para o colégio).

A melhora na remuneração de professores e demais profissionais da educação é outra bandeira que o advogado pretende empunhar no Congresso Nacional. Ele também destaca a necessidade de elevar as bolsas para mestrado, doutorado e iniciação científica, de forma a atrair talentos para a academia.

Defensor da ex-presidente Dilma Rousseff em seu processo de impeachment, Ricardo Lodi diz que é preciso reconstruir a Justiça brasileira, de maneira a despolitizá-la e extirpar o lavajatismo. Para isso, é preciso que instituições como Conselho Nacional de Justiça e Conselho Nacional do Ministério Público efetivamente fiscalizem as atividades de magistrados, promotores e procuradores.

Na visão do professor, a qualidade média das leis brasileiras é baixa. E profissionais do Direito podem ajudar a mudar esse cenário. Ele ressalta que, à frente da Uerj, usou sua experiência como advogado para buscar caminhos legais para obter recursos para a universidade. E visa a replicar essa experiência no Parlamento.
Professor de Direito Financeiro, Lodi avalia que o teto de gastos “tem de ser revogado o mais rápido possível”. E defende uma reforma tributária que promova maior igualdade entre os brasileiros.

Fonte: Conjur.

 

Adriano Dias

Jornalista militante e fundador da #ComCausa